História




Nasce um David com a missão de derrotar Golias

Nossa história começa com um homem de lutas, determinado a defender uma categoria que apesar de antiga ainda não era reconhecida na época. Falamos de José Duarte Marcolino também conhecido como Ceará. Veio do Estado do Ceará ainda com 10 anos de idade, morador do bairro do Brooklinzinho, trabalhou como taxista por 20 anos em Santo Amaro - local que ele considerava o melhor de São Paulo. Juntamente com um grupo de amigos taxistas de frotas iniciou a fundação do SIMTETAXIS - hoje uma realidade - que teve sua trajetória iniciada oficialmente no dia 20 de setembro de 1994, resultado de um desmembramento de base, pois a nossa categoria era então, representada por outra entidade sindical.
Porém, devido a entraves judiciais e o adoecimento de José Duarte Marcolino, que após um derrame e a descoberta da diabetes que o colocou em uma cadeira de rodas, fizeram com que o sonho do sindicato ficasse “engavetado” todo esse tempo, até que em 2011 uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou favorável à ativação da entidade de fato e de direito. Para consagrar esta luta dos companheiros fundadores do SIMTETAXIS, no dia 26 de agosto de 2011 foi sancionada pela Presidente Dilma Rossef a Lei 12.468 que regulamenta a função de taxista de frota, preposto e motorista auxiliar. Vale salientar que com a decisão judicial do STF mais a lei sancionada em definitivo, não cabem mais recursos. Em 2012 com fundador acamado foi eleito Antônio Matias Ceará para a presidência e reeleito em 2015. Com Antônio Matias a frente do SIMTEXI-SP deu início a trajetória de vitórias em prol da categoria. Em 2014 falece presidente fundador, José Marcolino.

Filiados de Caieiras

Audiência Pública na Câmara dos Deputados (DF)

A primeira grande vitória do SIMTETAXI-SP foi a aprovação da portaria 022/2015, depois de uma batalha de dois anos contra os que discriminavam os taxistas das empresas e segundo motorista - portaria colocou em pé de igualdade todos os taxistas - até então os motoristas das empresas e segundo motorista não podiam votar, serem votados e eleitos coordenadores. A portaria 022 estabeleceu a igualdade de direitos em pontos de táxi e ainda possibilita a migração de qualquer taxista para outra categoria, rádio-táxi e até para o luxo.

Diante da comoção e dor uma bandeira é levantada.

Em 20 de março de 2014 um taxista foi barbaramente assassinado em uma tentativa de assalto, os colegas indignados com o descaso com que as questões de segurança vinham sendo tratadas pelo poder público competente. Em carreata histórica foram recebidos pelo Secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, que criou juntamente com o SIMTETAXI-SP uma comissão para tratar com o comandante da Polícia Militar a volta de ações como a 3-3-3 - nos comandos da PM são abordos três carros particulares, três motocicletas e três táxis. Essas ações visam trazer mais segurança para o taxista e passageiro. No dia 08/04 o SIMTETAXI-SP encabeça a manifestação contra o transporte clandestino juntamente com outras entidades e associações, que reuniu - segundo dados da polícia milita - cerca de seis mil taxistas na Praça Charles Miller, em seguida dirigiram-se à Câmara Municipal onde uma comissão de lideranças foi recebida pela Presidência da Casa, essa comissão apresentou um relato da situação dos clandestinos na cidade, principalmente a atuação do aplicativo UBER, em seguida se dirigiu ao plenário que já estava tomado pelos taxistas onde se desenrolava a sessão da Comissão de Transportes, os vereadores marcaram uma audiência pública para ouvir os taxistas e a UBER O SIMTETAXI-SP está filiado a CNTTT (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres), (FETTSP) Federação Estadual dos Transportes Terrestres e à Federação Internacional dos Transportes (ITF). Foi em um encontro no Rio de Janeiro promovido pela ITF que o Presidente Antonio Matias Ceará, tomou contato com o Escritório Crivelli – especializado em direito autoral – que apresentou um estudo aprofundado para a abertura de um processo na justiça contra a UBER. O SIMTETAXI-SP apresentou vasta documentação que foi juntada ao processo do Escritório Crivelli, entre esses documentos, os ofícios de pedido de fiscalização e comprovação da atuação de carros particulares fazendo transporte remunerado de passageiros. Fechado o contrato com o Escritório Crivelli o SIMTETAXI-SP deu inicio a batalha judicial contra a UBER. Uma liminar foi concedida graças a essa ação que serviu para demonstrar ao aplicativo clandestino que a categoria tem sim representantes - não os parasitas do passado - uma entidade sindical reconhecida pela legislação e atuante em prol da categoria. (liminar) A liminar foi concedida na véspera da audiência pública da Câmara Municipal, na abertura o Vereador Ricardo Youag leu o texto que proibiu a UBER de atuar em todo território nacional, os taxistas que mais uma vez ouviu a convocação da SIMTETAXI-SP e lotou o plenário, hora e outra interrompeu a leitura com palmas e bradando o nome do Ceará.

Assembleia em Barueri Comissão de Negociação e Câmara Temática

No dia 28/05 o SIMTETAXI-SP protocolou uma pauta contendo onze reivindicações à Secretaria de Transportes da Cidade de São Paulo, entre elas a concessão de cinco mil alvarás aos trabalhadores nas empresas de táxi e segundo motoristas da ativa. No dia 03/06 um grupo de cerca de cinquentas taxistas se dirigiu ao sindicato, seguindo uma orientação do Vereador Ricardo Young (PPS) da Comissão de Transportes da Câmara Municipal. O Presidente Ceará os recebeu e criou uma Comissão de Negociação para representar o SIMTETAXI-SP e a categoria, junto aos Vereadores, essa mesma pauta foi protocolada na Comissão de Transportes. A comissão de Negociação a partir de então passou a ter reuniões semanalmente no sindicato com a presença do Presidente e Diretores. Coincidentemente o Secretário de Transportes Jilmar Tatto, instala a Câmara Temática do Táxi, convidando 21 representantes da categoria para fazer parte, todos, membros de alguma instituição ou coordenador de pontos de táxi. A Câmara Temática irá debater tudo que envolve o serviço de táxi na cidade de São Paulo, é um canal direto com a Prefeitura e o Secretário de Transportes, que foi aberto e possibilitará que os taxistas sejam vistos com o devido respeito que merecem. A UBER é proibida em São Paulo O Vereador Adilson Amadeu (PTB-SP), velho defensor da categoria dos taxistas, protocolou um projeto de lei (349/2014), para proibir que aplicativos façam uso de carros particulares para o transporte remunerado de passageiros e pediu apoio ao presidente do SIMTETAXI-SP para que seu projeto fosse aprovado na Comissão de Constituição e Justiça, o que ocorreu no dia 27/06, indo a votação no plenário no dia 30/06. Neste dia, com o Plenário da Câmara lotado pelos taxistas e mais três mil que tomaram a rua com seus veículos e acompanharão pelo telão, no térreo do prédio, os discursos dos parlamentares. Ao termino da votação – por volta das vinte horas – uma grande festa deu inicio, o Vereador Adilson Amadeu desceu para falar com os taxistas e foi ovacionado junto com o presidente do SIMTETAXI-SP que minutos antes - em uma cena emocionante - havia cantado o Hino Nacional com todos os taxistas.

O SIMTETAXI-SP é um sindicato estadual, portanto, pode atuar em todos os municípios do Estado de São Paulo. SIMTETAXI-SP atinge sua maioridade e ao mesmo tempo cresce para a luta Uma jovem entidade com um currículo invejável, isso seu deu pela seriedade e compromisso do seu presidente com a categoria. Esse compromisso é o norte que nos guia e faz que todos os dias renovem nossas forças e determinação de continuar tanto a luta contra os clandestinos, bem como a procura incansável de novas parcerias que tragam benefícios para nossos associados. O SIMTETAXI-SP, um sindicato forte, firme e atuante, sempre a frente para defender o sustento e a profissão dos nossos nobres amigos taxistas em todos os campos e principalmente no combate ao transporte ilegal. Mas nossa luta não para por aí.

© 2016 Simtetaxi todos direitos reservados | Desenvolvido por Iave Software

Nossos táxis aceitam os seguintes meios de pagamentos